quinta-feira, maio 30, 2024
Feira do Livro 2018

AS MENINAS QUE SE CONECTARAM COM A LUA

Nem o frio dessa tarde de domingo, dia 6 de maio, ofuscou o brilho das  mulheres que estiveram presentes autografando na Praça dos Escritores. Anna Denardin, Bruna Camargo, Carol Ferreira, Gabriela Winter, Georgia Zampieri e Marina Konrad produziram, em conjunto, o Lunário da Mulher Selvagem. O livro ressalta a importância do estudo dos ciclos femininos, as anotações diárias que possibilitam o autoconhecimento das mulheres durante o período menstrual.

A escolha de não usar o calendário gregoriano, foi o diferencial para o desenvolvimento do trabalho das autoras. Segundo a publicitária Carolina Ferreira, 32 anos, a iniciativa de montar um calendário lunar iniciou dentro de um grupo no Facebook chamado Ciranda das Lobas. ”Tínhamos potencial para criar algo relacionado com autoconhecimento, para que a mulher consiga entender suas peculiaridades através do ciclo menstrual”, enfatiza Carolina. Ela também destaca que o lunário pode ser utilizado por mulheres que não menstruam e até homens.

Já a estudante de terapias naturais, Marina Konrad, 24 anos, descreve que o estrógeno (controle da ovulação) é como uma onda. Ele sobe, e quando chega no máximo do período fértil, é ativada a progesterona (hormônio sexual), onde começa o segundo ciclo na mulher.


Texto elaborado pela acadêmica Juliana Brittes / Jornalismo UFN – Universidade Franciscana
Foto: Lucas Linck/ Labfem-UFN
Professor responsável: jornalista Bebeto Badke (MTb 5498)