domingo, maio 19, 2024
Feira Do Livro 2019TODAS EDIÇÕES

DISCOTECAGEM NO VINIL NA PRAÇA

Na ensolarada manhã deste sábado, 4, a Praça Saldanha Marinho ficou recheada de vinil e aparelhagens dos anos 1970. Isso porque o atual fotógrafo e antigo DJ Ronald Mendes trouxe muita música antiga para manter as tradições dos discos de vinil. O ponto alto da manhã foi quando ele homenageou o Humberto Gabbi Zanatta com a canção Lições da Terra.

Ronald recorda com muito entusiasmo como era ser DJ na época. Na época, não se podia sair de perto dos aparelhos durante todo o show, já que as músicas eram mixadas na hora. Além disso, os aparelhos começavam a ser carregados desde às 9h do dia da apresentação e os DJs esperavam com muita ansiedade para começar a tocar. Mendes conta que começou aos 15 anos no mundo da música e também relembra das inúmeras discotecas nos clubes Dores, Caixeiral e Esportivo.

O DJ Fernando Simon trabalha desde os 17 anos com música e foi o primeiro na família a ir para o ramo. Para ele, o meio da música é um constante aprendizado. Simon afirma que cultiva grandes amizades desde que começou a trabalhar com os discos de vinil, na década de 1970.

Já Valdir Rios Júnior vem de uma família que admira muito a música e conta que a partir dessa paixão foi que eles montaram uma loja, no fim dos anos 1990, que vende vinil em Santa Maria. O pai dele era colecionador e o tio fazia mixagens em discotecas. Para Rios, ter essa manhã de discoteca na praça é um resgate das tradições das décadas de 1970 e 1980 e também mantém a cultura dos discos de vinil.

O lider operacional Leandro Eckhardt trouxe o pequeno Nicolas, 4 anos para passear na feira. O pai conta qie o filho se encantou pela música e ficar ouvindo. Eckhardt diz que quando jovem ouvia muito vinil e acredita ser importante mais manhãs como essa para cultivar a cultura da música.

IMG_6538

Texto elaborado pela acadêmica de Jornalismo/UFN Natália Venturini

Foto: Thayane Rodrigues /LABFEM-UFN

Professor responsável: Jornalista Bebeto Badke (MTb 5498)