PROGRAMAÇÃO DE SEGUNDA, 2 DE MAIO

13h – Abertura da Feira

  • Início das atividades do Centro Cultural SESI

14h – Lançamento de Livro Infantil

  • A Menina dos Pãezinhos Doces – Selma Nancy Feltrin

14h30 – Teatro infantil: “Pandorga da Lua”

Pandorga da Lua é um projeto musical consolidado em 2004 que empresta nome ao livro/CD escrito por Jaime Vaz Brasil, musicado por Ricardo Freire e ilustrado por Paula Mastroberti. A obra ganhou o Prêmio Açorianos de Música na categoria infantil. O Musical também conquistou o prêmio Rumos Culturais Itaú 2010-1012, ficando entre os melhores projetos do país destinados às crianças.

Em poemas musicados, Pandorga relembra o cancioneiro gaúcho e aproxima as crianças da cultura do estado. Reforçar o convívio e o respeito às tradições regionais é um dos objetivos deste grupo que visa, por meio da arte, estimular a criatividade e a imaginação das crianças.

16h- Apresentação de escolas

  • EMEF Martinho Lutero – (SMED)
  • Colégio Sant’Anna (8ªCRE)

16h30 – Contação de Histórias (Saca-Rolhas Teatro & Cia.)

17h –Lançamentos de livros

  • Theatro Treze de Maio: Um Espetáculo de História – Luiz Gonzaga Binato de Almeida
  • Liberdade Condicional: Uma História de Superação da Dependência Química – Claudio Filiciani Lena
  • Brincos de Amora – Selma Nancy Feltrin

19h – Livro Livre – Pedro Gabriel – “Eu me Chamo Antonio”

Pedro Antônio Gabriel Anhorn nasceu em N´Djamena, no ano de 1984. Passou grande parte da infância na África, alternando entre a capital do Chade e o arquipélago de Cabo Verde. Filho de mãe brasileira e pai suíço, foi alfabetizado em francês.

Sem saber falar português corretamente, chegou ao Brasil em 1996 com uma mala cheia de brinquedos e lembranças. A partir da dificuldade na adaptação ao idioma, começou a prestar mais atenção na grafia e na sonoridade das palavras, a brincar com elas, a tentar entendê-las. Transformou esse distanciamento de 12 anos em poesia.

Em outubro de 2012, inaugurou a página Eu me chamo Antônio na internet para compartilhar o que rabiscava com caneta hidrográfica em guardanapos nas noites em que batia ponto no Café Lamas, um dos bares mais tradicionais do Rio de Janeiro. Publicitário formado pela ESPM-RJ, é autor dos livros Eu me chamo Antônio (2013) e Segundo – Eu me chamo Antônio (2014), ambos publicados pela Editora Intrínseca.

Foto: Leo Aversa - Crédito obrigatório.
Foto: Leo Aversa

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *