VER O MUNDO COM OLHOS DE CORUJA

É o que Onilse Noal Pozzobon pretende com o livro A Corujinha Lica, lançado nesta tarde de terça-feira, 3. De acordo com a escritora, “a história busca resgatar as brincadeiras folclóricas para que não se percam no tempo. O resgate de valores, como o cuidado com a natureza, também estão no texto com o objetivo de fazer os leitores verem o mundo com o olhar apurado”. Onilse, que ostenta em sua coletânea o 16° título voltado às crianças, diz que se antecipou à febre dos livros para colorir. A Corujinha Lica traz desenhos e jogos que auxiliam no desenvolvimento intelectual e motor dos pequenos: “O Macaquinho Bili e A Borboleta Danda são duas obras que antecederam o sucesso dos livros para pintar, então não foi minha principal inspiração. Esse formato faz com que as crianças interajam com o conto de várias maneiras e foi esse o intuito”, explica ela.

Comuns em publicações infantis, os animais tornam a leitura lúdica. É o que arrisca a poeta na explicação para o uso dos bichanos: “os animais são parte do nosso mundo, de nós, assim como as crianças. Estão aqui para nos dar alegria e, principalmente, para nos ensinar. São ingênuos e lindos, por isso ajudam melhor na compreensão do texto”. Onilse Pozzobon exclama sua felicidade ao falar nos professores que utilizam seus trabalhos em sala de aula. “É o que me impulsiona a escrever: saber que as crianças estão com livros na mão”, finaliza.

_LANÇAMENTO_CORUJINHA LICA_FOTO_JULIANO

ASSESSORIA DE IMPRENSA – UNIFRA
Texto: jornalista Rúbia Keller
Foto: Laboratório de Fotografia e Memória/Juliano Dutra
Professor responsável: jornalista Bebeto Badke (MTB 5498)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *