quinta-feira, maio 30, 2024
Feira Do Livro 2019TODAS EDIÇÕES

LITERATURA E REPRESENTATIVIDADE

Curioso, tímido e aventureiro, Max Belzareno quando pequeno, gravava desenhos em fita VHS para rever e imaginar continuações para as histórias, mas nunca imaginava virar escritor literário. Graduado em História pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG), o escritor busca retomar assuntos sociais pertinentes em seus livros. O bate-papo foi mediado por Martha Souza, professora da UFN.

Max, que esteve presente na noite deste sábado, 4 de maio, no Livro Livre, dá voz aos conflitos existenciais do público LGBT por meio da literatura. Inesquecível e Rua Nuvem de Estrela são dois exemplos. Os livros abordam as mesmas temáticas, porém com olhares diferentes, as vivências de adolescentes em fase de descoberta sexual e também de jovens que já assumem sua condição.

No Livro Livre, o escritor ressaltou a importância da representatividade e da necessidade de desmistificar o universo LGBT. “Achei muito bom ter ele aqui. É bom termos essas discussões importantes em praça pública, ainda mais sobre a temática LGBT”, relata Lara Menezes, estudante de Letras.

E, para além de defensor das causas sociais, Max também se aventurou por outros caminhos. O mais recente trabalho, o livro O (celul)AR de Bento, narra a história de Bento, um jovem seduzido pelo culto à beleza e pelos infinitos recursos tecnológicos. Para além de criar um mundo particular através dos livros, Max constrói uma narrativa com soluções. Nas páginas encontra-se, fora um relato, uma saída para o problema vivido pelos personagens.

IMG_6607

Texto elaborado pela acadêmica de Jornalismo/UFN Luiza Rorato

Foto: Thayane Rodrigues/LABFEM-UFN

Professor responsável: Jornalista Bebeto Badke (MTb 5498)