terça-feira, maio 28, 2024
Feira Do Livro 2022TODAS EDIÇÕES

Opereta “Pé de Pilão” chega ao Theatro Treze de Maio em novo formato

Opereta ”Pé de Pilão”, adaptação da obra homônima de Mário Quintana, ocupou o palco no Theatro Treze de Maio no Livro Livre desta terça-feira, 3 de maio. Pé de Pilão tem uma longa história que começa com o livro, lançado em 1975, a adaptação para o teatro, em 2006. Décadas que, além de marcarem gerações através de histórias lúdicas, também angariaram prêmios de nível nacional à obra.

A obra conta a história de um menino que virou pato e tenta localizar sua avó perdida, que foi enfeitiçada por uma fada mascarada. Lançado em forma de poesias, Pé de Pilão desafia a imaginação de crianças e adultos. “Como disse Carlos Drummond de Andrade, que prefaciou o livro: essa é uma pequena obra prima, pois consegue contar uma história de forma não-linear e ao mesmo tempo faz com que as crianças possam entender perfeitamente”, comenta Cláudio Levitan, músico responsável pela adaptação da obra literária à música, em 1986, e ao teatro, 20 anos depois.

A apresentação chegou ao Theatro Treze de Maio em novo formato, deixando de lado a antiga mistura de peça com bonecos, cenografia, dança e música que vigorou desde o lançamento, para uma adaptação de música com imagens do livro em formato HQ, adaptado pelo próprio Levitan em meados dos anos 1980, a convite da editora L&PM. “Estamos estreando em um formato mais dinâmico, mais fácil de montar e mais acessível para espaços nos receberem. Assim a obra vai poder circular sem depender de locais que possuam um teatro“, destaca Levitan.

As músicas são dele, de Nico Nicolaiewsky e Vitor Ramil. Pé de Pilão rodou o Rio Grande do Sul e foi adaptada para um circuito em São Paulo. O espetáculo foi indicado a vários prêmios, tendo recebido o Prêmio Tibicuera de melhor trilha sonora para Teatro Infantil em 2006. Também foi selecionado e ganhou o prêmio Rumos Itaú Cultural em 2011/2012. As premiações refletem a conquista transgeracional que Mário Quintana – e que Levitan, através das adaptações – transmite ao público. “Gostei muito da peça, conhecia a Casa de Cultura Mario Quintana, mas nunca vi sua obra retratada assim”, comentou Pietra Lima, de apenas 11 anos, ao lado do pai Gustavo.

Assessoria de Imprensa: acadêmicos de Jornalismo da Universidade Franciscana
Texto elaborado pelo acadêmico Petrius Dias
Professor responsável: Jornalista Bebeto Badke (MTb 5498)
Fotos: Fernanda Menezes (LabFem/UFN)
Jornalista responsável: Letícia Sarturi (MTb 16.365) – Feira do Livro de Santa Maria