A HISTÓRIA DO MOVIMENTO NEGRO EM LIVRO

Paralelo à intervenção do Negressência, foi lançado o livro Moreno Rei dos astros a brilhar, Querida União Famliar, fruto do trabalho de conclusão de curso de Franciele Oliveira e publicado com recursos da Lei do Livro da Câmara de Vereadores de Santa Maria. A historiadora escreveu sobre o Clube União Familiar, fundado em 1896, oito anos após a abolição da escravatura. Ela conta a história complexa do clube, que foi bloco carnavalesco, a luta negra, a resistência e a memória afrodescendente. “Trabalhei com outros historiadores e tive contato com a história negra quando estagiei no Museu Treze de Maio”, conta Franciele. Ela constituiu a pesquisa junto com o projeto Negressência porque os dois trabalham a questão da resistência africana.

A obra, fundamentada em pesquisas e conhecimentos adquiridos no Museu, aborda a luta do Movimento Negro na cidade e o resgate histórico das figuras negras, bem como a questão da redenção e dívida histórica. “Há uma dívida com os negros, por todos os anos de escravidão, dificuldades e por tudo que eles sofreram. Ainda continuamos em uma sociedade que vê a escravidão como algo distante”, argumenta Franciele.

A historiadora afirma que é urgente resgatar a história de Santa Maria e reconhecer a diversidade humana da cidade. “O que eu e outros pesquisadores comprovamos é que a cidade ainda carrega um preconceito racial e que isso precisa ser mudado. Negros que resistiram, lutaram pela sua liberdade, são esquecidos na história”, argumenta. A obra foi distribuída para os interessados. Ela agradeceu aos colaboradores e militantes do Movimento Negro, como Maria Rita Py Dutra e Eloá Bueno.

DSC_8490

ASSESSORIA DE IMPRENSA – UNIFRA
TEXTO: Acadêmica de Jornalismo Amanda Souza
FOTO: Laboratório de Fotografia e Memória Viviane Campos
PROFESSOR RESPONSÁVEL: jornalista Bebeto Badke (MTB 5498)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *