A VIDA REAL COMO INFLUÊNCIA PARA A ESCRITA

Na tarde desta sexta-feira, 6 de maio, o autor Alexandre Meyr esteve na Praça dos Escritores para o lançamento de três livros: os romances “Nem só de literatura vive o homem”, “Vinhedos do Pampa” e “Mosaico de Contos”.

Nascido em Canoas, Meyr mora em São Miguel do Oeste, Santa Catarina, e já foi delegado e escrivão de polícia. Ele explica como a profissão influenciou na escrita: “Todas as nossas experiências influenciam na escrita, querendo ou não. Escrevemos como somos. Quando trabalhei na policia tive contato com muitos romances policiais”. Suas influências também se estendem para o ambiente familiar: “Minha esposa é pedagoga e me influencia na escrita. Minha filha também, pois escrever ajuda no incentivo à literatura dela”.

Meyr já participou de uma oficina de escrita criativa com a escritora Leticia Wierzchowski (A Casa das Sete Mulheres). “A oficina me foi indicada quando comecei a escrever meu primeiro romance, e foi lá que aprendi que a escrita tem uma técnica. Por mais que muitos acreditem que não, inclusive conheço uma poetisa que escreve desde seus 12 anos e atualmente tem 92”, revela o escritor.

Assessoria de imprensa: acadêmicos de Jornalismo da Universidade Franciscana

Texto elaborado pelo acadêmico Ian Lopes

Professor responsável: Jornalista Bebeto Badke (MTb 5498)

Foto: Patricio Fontoura/ LabFem-UFN

Jornalista responsável: Letícia Sarturi (MTb 16.365) – Feira do Livro de Santa Maria