PASSEIOS PELO CENTRO REVELAM O PATRIMÔNIO DA CIDADE

Quem teve a oportunidade de participar de dois passeios pelo Centro Histórico de Santa Maria na tarde quente deste sábado, 04 de maio, não se arrependeu. Foram apresentadas duas rotas, uma com ênfase no acervo Art Déco e o outro sobre o Centro Histórico da cidade, com maior variedade de estilos.

O passeio Art Déco, cujo acervo é encontrado na Avenida Rio Branco, teve início em frente ao antigo Hotel Jantzen e foi  até a Estação Férrea (Gare),  conduzido pelos arquitetos Marcia Kummel e Daniel  Pereyron, professores do curso de Arquitetura da Universidade Franciscana (UFN), e teve como público, em torno de 40 pessoas.

No início do passeio, em frente ao Coreto da Praça Saldanha Marinho, Marcia explica que o rico acervo arquitetônico da cidade se deve a vários aspectos históricos, entre eles às Missões Jesuíticas e às atividades ferroviárias já encontradas na cidade. Assim que foram extintas, foram esquecidas. O mesmo aconteceu com os prédios: esquecimento e falta de preservação. “Este tipo de prédio tem como características os elementos geométricos, simetria destacada e busca pela sensação de movimento”, explica a arquiteta,

Este passeio contou com adultos e crianças constituindo seu público. Pereyron explica que crianças são instigadas a conhecer o acervo de prédios históricos que fazem parte da memória e patrimônio da cidade através do livro Lelé, que foi lançado na edição deste ano da Feira do Livro e tem como objetivo valorização por meio do conhecimento deste conjunto de obras.

A professora de Artes e Metodologia Científica Márcia Gerhardt, 43 anos, levou as filhas gêmeas, Júlia e Gabriela de 8, para o programa. “Santa Maria é muito rica culturalmente, mas pouco divulgada. Como professora, estava buscando sobre a parte histórica da arquitetura de Santa Maria, quando vi que esta programação foi oferecida, não perdi a oportunidade de vir e trazer as crianças para que vejam a riqueza que temos em nosso município”, avalia Márcia.

Júlia adorou o passeio: “Pude conhecer coisas novas e ver que cada arte tem um estilo, como a Catedral e outros prédios. Também gostei muito de ver os detalhes, os quais eu já gostava de observar.” Gabriela acrescenta: “Gostei de conhecer novos lugares e artes nos prédios antigos”. Ela ficou impressionada por ainda haverem moradores nestes locais: “só notei quando a gente estava lá”. Ela nunca havia olhado para os prédios da cidade da maneira como olharam no passeio.

O outro passeio teve início no Theatro Treze de Maio, indo até o Calçadão Salvador Isaía, passando pela Sede dos Correios e tendo encerramento na Escola de Artes e Ofícios (1921), hoje mercado Carrefour (2007). Esta, foi guiada pelos arquitetos Francisco Queruz, coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFN, e Adriano Falcão, professor da UFN, e acompanhada por cerca de 20 pessoas.

IMG_6582

Neste passeio, Queruz explica sobre a lacuna de retirar prédios históricos, em partes ou inteiros, da cidade, e sobre o erro de tentar reconstituí-los: “A melhor memória é o que acontece dentro dos edifícios, a memória de cada pessoa que constitui a cidade”.

Para o geógrafo Bruno Valentim, 35 anos, que acompanhou ao passeio de Queruz e Falcão, é muito importante que a população  conheça a história da cidade por uma questão de pertencimento.  Ele percebe isso porque hoje cursa História. “Só vamos aprender a preservar e cuidar do que é nosso quando o conhecermos. E a arquitetura está completamente ligada à história, nós vemos a demanda pela arquitetura em diferentes períodos do Brasil”.

A Mestranda em Patrimônio, Carina Bohnert, 36 anos, classifica o passeio como um resgate de memória do patrimônio da cidade como pertencimento. “No dia a dia, passamos batido por esses prédios tão importantes para a nossa história e memória como Santa Maria. Não temos conhecimento do que eles representam e da importância que já tiveram”, destaca a também jornalista.

Há intenções, por parte de organizadores  que haja mais uma edição do programa no próximo sábado, 11. Mais informações pelo site da Feira do Livro de Santa Maria.

Esta programação é uma iniciativa do Coletivo em Defesa do Patrimônio Histórico e Cultural de Santa Maria, IAB e IPLAN.

IMG_6583

Texto elaborado pela acadêmica de Jornalismo/UFN Gabriele Bordin

Foto: Thayane Rodrigues/LABFEM-UFN

Professor responsável: Jornalista Bebeto Badke (MTb 5498)