quinta-feira, maio 30, 2024
Feira do Livro 2018

VAMOS FALAR DO ONTEM

“Muitas matérias que são publicadas hoje, amanhã já estão velhas. No entanto, muitos jornalistas  se dedicam a falar do ontem e é isso que eu faço”. Assim, Daniela Arbex iniciou o bate-papo da primeira noite do Livro Livre da Feira 2018 com o tema  O papel do Jornalismo Investigativo na construção da memória de um país.

Daniela é a premiada escritora dos livros Cova 312, Holocausto Brasileiro e Todo dia a mesma noite.  Neste último, aborda a tragédia que ocorreu na cidade em 2013, relembra e homenageia os 242 mortos no incêndio da Boate Kiss.

Ela conta que foi instigada por um radialista do grupo de comunicação em que trabalha em Juiz de Fora, Minas Gerais, a escrever sobre a tragédia . Surpresa com a dimensão internacional da história, Daniela decidiu vir até a cidade, para tentar entender o que aconteceu. Ao ouvir os relatos dos familiares das vítimas e dos sobreviventes, ela percebeu o tamanho da devastação que atingiu e ainda afeta quem perdeu seu amor  – filhos, amigos, parceiros de vida – dentro da boate. Assim, ela decidiu que  precisava  contar essa história.

Na noite deste sábado 28, na praça, ela contou em palavras, imagens e vídeos o processo de produção do livro e o contato com essas famílias e emocionou todos os presentes. Entre eles, estava  Maria Angélica, que destacou que  os relatos do livro nos tornam mais humanos. “A gente se emociona a casa história que lê”.

A jornalista e escritora revelou que escreve para restaurar a humanidade que as pessoas estão perdendo. Ela acredita que ao se colocar no lugar do outro, com a sua dor, ela contribui com esta tarefa. Daniela Arbex é a mulher que dá voz a quem não tem. Teus leitores, o público da Feira e Santa Maria te agradecem!!!


Texto elaborado pela acadêmica Ana Luiza Deicke / Jornalismo UFN – Universidade Franciscana
Foto: Julie Brum/Labfem-UFN
Professor responsável: jornalista Bebeto Badke (MTb 5498)