TARDE DE AMORES AOS MONTES NA PRAÇA LOTADA

Todos os dias nos questionamos sobre o real significado da palavra amor, mas nunca conseguimos chegar a uma conclusão definitiva sobre ela. Este foi o ponto de partida do espetáculo Amores aos Montes, apresentado pelo Teatro Por Que Não? na tarde desta quarta-feira, 9 de maio. A peça tem como objetivo objetivo principal desmistificar tudo aquilo que o amor não é, fazendo uso do ritmo acelerado e da interação com o público para narrar os acontecimentos.

No elenco, estão os artistas André Galarça, Anderson Martins, Janaína Castaldello, Juliet Castaldello e Geison Sommer, com  direção de Felipe Martinez. “Ao invés de buscar falar o que é o amor, nós buscamos falar o que ele não é e mostrar que muitas vezes a gente não precisa entender ou querer explicar o que ele é. Nós precisamos entender que ele é uma coisa boa e tudo aquilo que é ruim não é amor”, explica o diretor.

A professora da Escola Municipal de Ensino Fundamental Castro Alves, Carolina da Rosa, afirma que a linguagem didática da apresentação facilitou a compreensão da temática pelos pequenos. “Adorei a abordagem do tema, pois  eles conseguiram transmitir de forma clara que o importante é amar. Sem nenhuma distinção”, explica Carolina.

As estudantes da EMEF Castro Alves, Isadora Melo de Bem, 6 anos, e, Alice Freitas da Silva, 7 anos, gostaram do repertório musical e das encenações. “Queria muito assistir outra vez a apresentação, porque eu gostei das músicas, principalmente, do violão que eles utilizaram”, comenta a pequena Alice.

O enredo musical enfatiza que “Não é fácil dizer o que é amor. Não é simples dizer o que ele é. Qual a cor, qual o cheiro e o sabor. Se aproxime por favor e vamos ver o que não é”. Desta forma, explica Martinez,  por meio de uma linguagem mais dinâmica o grupo busca explicar que comportamentos de intolerância, de violência e preconceito não devem ser considerados como formas de demonstração de amor.


Texto elaborado pela jornalista colaboradora Viviane Campos/ Egressa do Jornalismo UFN- Universidade Franciscana
Foto: larissa Bilo- Labfem/UFN
Professor responsável: jornalista Bebeto Badke (MTb 5498)