quarta-feira, maio 22, 2024
Feira Do Livro 2019TODAS EDIÇÕES

A VITALIDADE E DETERMINAÇÃO DE MARINA, A ENCANTADORA DAS PALAVRAS

Mulher independente e determinada. Essas são só algumas características da artista plástica, jornalista, publicitária e escritora Marina Colasanti. Ela já publicou mais de 50 obras e é detentora de 6 prêmios Jabuti, a premiação literária mais tradicional do Brasil.

Marina trouxe consigo toda essa bagagem para o Livro Livre da noite desta segunda chuvosa. A conversa de pouco mais de uma hora foi no Theatro Treze de Maio com mediação do professor homenageado desta edição da Feira do Livro, Pedro Brum Santos.

Instigada por Brum, autora deu destaque para o papel da mulher na literatura, e lembrou dos anos em que escrevia textos de cunho feminista para a Revista Nova. “Foi um privilégio poder, não digo influenciar, mas organizar na cabeça de tantas mulheres, ideias que estavam fermentando. Eu não mudei a vida de ninguém, mas creio que pude ajudar essa efervescência que estava no ar”, evidencia Marina.

A noite foi marcada por risadas e relatos fortes da escritora. “Eu considero que a minha escrita é de mulher. Eu sei que isso bota uma bola de chumbo no meu trabalho, mas eu tenho tanto orgulho de ser mulher e acho tão bonito que eu prefiro colocar uma bola de chumbo e dizer que eu vejo o mundo com meus olhos de mulher, e eu escrevo com minha mão de mulher”, explicita Marina, quando questionada se acredita que há uma forma feminina de escrever.

Além disso, ela contou sobre sua trajetória como jornalista e escritora, e revelou que não tem uma rotina fixa, pois precisa conciliar sua agenda de compromissos e viagens, responder e-mails, cuidar da saúde de um familiar e escrever.

Na plateia, a professora do curso de Nutrição da Universidade Franciscana, Tereza Cristina Blasi,  saiu do teatro emocionada. “Ela não faz nada por fazer, tudo é um todo e a vida dela é uma emoção. Mas é uma emoção que tem técnica, que segue um roteiro, uma emoção que não tem rotina”, avalia Tereza.

Já a arquiteta Lídia Gomes Rodrigues destacou a vitalidade de Marina: “ela transmitiu muita sabedoria, gás e vida em sua fala”.

Por fim, Marina presenteou o público com um conto improvisado naquele momento.

Colasanti

Texto elaborado pela acadêmica de Jornalismo/UFN Mariama Granez

Foto: Eduardo Camponogara /LABFEM-UFN

Professor responsável: Jornalista Bebeto Badke (MTb 5498)