O ESPAÇO DA LITERATURA FANTÁSTICA NAS ESCOLAS EM PAUTA

Literatura Fantástica e ensino foram temas de um bate-papo que ocorreu na tarde desta sexta-feira, 06 de maio, no Theatro Treze de Maio. Mediados pela patronesse da 49ª edição da Feira do Livro, Nikelen Witter, o professor e escritor Enéias Tavares e a professora Fabiana Friedrich debateram de que forma é possível levar a literatura fantástica para a sala de aula e conquistar novos leitores, ao mesmo tempo que se educa. No painel, os professores relataram suas experiências e o quanto as crianças e adolescentes acabam fascinados com a literatura fantástica.

Fabiana Friedrich, que é professora no Colégio Pallotti Antônio Alves Ramos, usa da literatura fantástica em sala de aula, incentivando seus alunos a lerem e conhecerem mais sobre o gênero. “A escola e a equipe de professores nos apoiaram nesse projeto e aceitaram essa novidade que trouxemos. Estou constantemente levando os lançamentos e também ouvindo os alunos e seus interesses”, contou a professora.

A mediadora Nikelen ressaltou a necessidade de ouvir o interesse dos alunos: “Raramente se tem esse espaço de escuta, de procurar saber o que eles estão assistindo ou lendo no momento. A juventude lê de uma forma diferente do que a gente lia, por exemplo, por meio das histórias em quadrinhos”. Também destacou a importância de dar espaço para a formação leitora jovem. “Os trabalhos de vocês dois (Enéias e Fabiana) são geniais nesse sentido, instiga a formação leitora e o protagonismo dos alunos”, disse Nikelen.

O escritor Enéias falou da importância de fazer os conteúdos dialogarem: “Existe um duplo desafio, de um lado tem de seguir o programa da disciplina, com autores da literatura clássica e por outro lado tem a ideia de substituir o programa pela literatura fantástica. Minha ideia é encontrar uma forma de fazer o programa dialogar com a literatura fantástica”. Ideia esta que o escritor coloca em prática no projeto Brasiliana Steampunk, onde explora a história nacional em uma aventura transmídia, mesclando literatura fantástica, quadrinhos, audiovisual e jogos. Ao final do bate-papo, a plateia fez questionamentos aos professores e também compartilhou experiências.

Assessoria de Imprensa: acadêmicos de Jornalismo da Universidade Franciscana

Texto elaborado pela acadêmica Heloisa Helena Canabarro

Professor responsável: Jornalista Bebeto Badke (MTb 5498)

Foto: Patrício Fontoura (LabFem/UFN)

Jornalista responsável: Letícia Sarturi (MTb 16.365) – Feira do Livro de Santa Maria