“ENTRE ARMÁRIOS E GAVETAS” PROPÕE REFLEXÃO SOBRE HOMOSSEXUALIDADE E ENVELHECIMENTO

A homossexualidade é antiga, mas parece que grande parte das pessoas não veem isso com bons olhos. A prática de homofobia é um assunto sério e que com o passar dos anos está ganhando a visibilidade que merece, inclusive entre os livros. Um deles foi lançado neste sábado, 7 de maio: “Entre armários e gavetas: homossexualidade masculina e o processo de envelhecimento”, do autor Gustavo de Oliveira Duarte.

Duarte apresenta uma visão que até então é tabu no próprio mundo LGBTQIA +, que é o envelhecimento. A ideia inicial do livro se originou numa tese realizada pelo mesmo, em 2013, quando estava na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre. Durante o período de tese, ele entrou em contato com duas ONGs, a Nuances e Somos, e com isso encontrou um grupo feito por 15 homens numa faixa etária de 60 a 80 anos, que contaram e compartilharam suas histórias com o propósito de se mostrarem resistentes ao tempo e a sociedade que os reprimia por serem gays e velhos.

O livro “Entre armários e gavetas: homossexualidade masculina e o processo de envelhecimento” contextualiza como diferentes homens gays reuniram-se em grupo para levar a vida de maneira mais leve, menos solitária e, sobretudo, para apoiarem-se mutuamente frente às questões do assumir-se, de preconceitos declarados ou velados e do processo do envelhecer. Para Duarte foi muito gratificante o compartilhamento de experiências. O autor acha importante, ainda mais na fase que ele se encontra, gay e envelhecendo, pois é uma chance de fazer outras pessoas “saírem do armário” e se reconhecerem como quem são.

Assessoria de Imprensa: acadêmicos de Jornalismo da Universidade Franciscana

Texto elaborado pelo acadêmico Luiz Paulo Favarin

Professor responsável: Jornalista Bebeto Badke (MTb 5498)

Foto: Fernanda Menezes (LabFem/UFN)

Jornalista responsável: Letícia Sarturi (MTb 16.365) – Feira do Livro de Santa Maria